Fundação Macaé de Cultura

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Notícias
Notícias

Benê Lá volta a movimentar o Mercado de Peixes

E-mail Imprimir

 

A Secretaria Municipal de Cultura voltou com as edições da proposta Benê Lá, desde a última terça (4). Semanalmente, o melhor da Música Popular Brasileira é apresentado na Praça do Mercado de Peixes, variando com artistas convidados, poesias, entre outras atrações.


Nesta terça (11), a edição do Benê Lá será enriquecida com a presença do artista Ilzimar Bandeira, que também faz parte da equipe do Polo de Cultura Fronteira. Ele apresentará a Arte da Caricatura - enquanto o público aprecia a atração musical, ele retratará os rostos da plateia.

Em 2017, Benê Lá está acontecendo às terças, a partir das 17h30. Além das atrações musicais e artísticas, barraquinhas de aperitivo, petiscos e o artesanato local completam a programação cultural.

A proposta foi idealizada pela Secretaria de Cultura que teve como ideia inicial homenagear o compositor macaense Benedito Lacerda, juntamente com a Secretaria de Pesca. Com várias inovações, a Praça do Mercado de Peixes tornou-se palco oficial da cultura macaense, ponto de encontro semanal e referência de divertimento para a população.

"A integração entre a Cultura e a Pesca está rendendo bons frutos. Música, gastronomia e artesanato, ocupando a praça com ações de revitalização do espaço. Ótima parceria!", registra Mariana Previtali, da Secretaria de Pesca. Também colaboram para a realização do projeto as Secretarias de Mobilidade Urbana e Postura.

Para Tânia Jardim, Secretária de Cultura, a volta do Benê Lá, além de comprovar o sucesso da proposta, comprova também a importância de democratizar o acesso à cultura, juntando a informação. "Além de ser uma ótima opção de lazer, após o dia de trabalho", disse.

 

Jornalista Mônica Braga

 

1491272214

 

Cultura apresenta Música Todo Dia

E-mail Imprimir

 A Escola Municipal de Artes Maria José Guedes (EMART) iniciou esta semana a proposta 'Música Todo Dia' que consiste em apresentações musicais onde o público além de apreciar, poderá também participar.

 A proposta se divide em oficinas de Canto, apresentação de estilos musicais, evidenciando o Jazz e a Bossa Nova, Camerata de Violões e o quarteto com violoncelos e acontecerá durante todo o ano.

 'Música Todo Dia' acontece no foyer do Teatro onde também funciona o Café Arte com cardápio variado entre doces, salgados, tortas e tapioca recheada. Só às terças que o grupo de músicos transfere a apresentação para o Benê Lá, na Praça do Mercado de Peixes, levando o melhor da Música Popular Brasileira.

Confira a programação:

Segunda - 19h - Jazz e Bossa Nova

Terça - 17h30 - Benê Lá

Quarta - 15h - Ensaio Aberto da Orquestra Popular de Macaé (OPM)

Quinta - 18h30 - Quarteto violoncelos
Quinta - 20h - Prática Técnica de Coral e Repertório de Canto.

Sexta - 18h30 - Camerata de Violões

A Prática Técnica de Coral e Repertório de Canto são atividades realizadas com o público.

As oficinas são realizadas no Foyer do Teatro Municipal, no Centro Cultural, que fica na Avenida Rui Barbosa, 780, Centro.

O Projeto Benê Lá acontece na Praça Jorge Marins, onde funciona o Mercado de Peixes.

Jornalista Mônica Braga

 

 

musica

 

Volta do 'Benê Lá' marca a agenda da semana na Cultura

E-mail Imprimir

mercado 02

A Secretaria Municipal de Cultura divulga a agenda de eventos semanalmente contendo atrações, cursos, propostas, espetáculos entre outros. Nessa próxima semana, 3 a 7 de abril, a agenda cultural será marcada pela volta do 'Benê Lá' no Mercado de Peixes e pela proposta da Escola Municipal de Artes Maria José Guedes (EMART), 'Música Todo Dia', na Praça das Artes.

A proposta Benê lá foi idealizada pela Secretaria de Cultura que tem como ideia inicial homenagear o compositor macaense Benedito Lacerda que em 2016 completaria 113 anos de nascimento. Benê Lá fez da praça Jorge Marins, do Mercado de Peixes, palco oficial da cultura macaense. Voltando esse ano toda terça, a partir das 17h30, dando início na próxima dia 4 de Abril. As edições do Benê são marcadas por apresentações de música instrumental, samba de raiz, choro e o melhor da Música Popular Brasileira, variando com artistas convidados e também leitura de poesias autorais do público e de poetas já consagrados.

Marco Polo, coordenador de música da Emart, comanda o grupo de músicos que atuam no Benê. Além de música, as edições contam com barraquinhas de aperitivos, petiscos e artesanato.

Também iniciando está a proposta 'Música Todo Dia', consiste em oficinas durante a semana, sempre as 15h, na Praça das Artes, onde músicos e alunos se apresentam variando as modalidades entre instrumentos, cameratas, canto, percussão, e outras vertentes oferecidas pela EMART.

A Orquestra Popular de Macaé (OPM) mantém seus ensaios abertos toda quarta, 15h, também na Praça das Artes, entrando, portanto, na programação da 'Música Todo dia'. Quanto às atividades nos polos culturais, na Fronteira continuam as aulas de balé, capoeira, corfebol, ginástica entre outros. No Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), bairro Malvinas, professores da Cultura oferecem aulas de balé, capoeira e oficina de Cinema Comentado. Na Região Serrana, Espaço CriaSana, a Secretaria de Cultura atende a população com atividades de dança contemporânea, balé e outros, apresentando uma novidade, a Dança Maternal Baby, onde mãe e bebê se interagem através da música e dos movimentos.

Endereços:

*Praça das Artes - Avenida Rui Barbosa, 780, Centro.

*Praça Jorge Marins - Rod. Amaral Peixoto, 723 - Centro, Mercado de Peixes.

* Espaço CriaSana - Em frente a Praça Principal do Sana.

*CEU - Final da Rua Principal no bairro Malvinas.

Jornalista Mônica Braga

 

Seminário de Artesanato destaca união da categoria para crescimento do setor

E-mail Imprimir

Desenvolver e reforçar parcerias na busca do crescimento pessoal e do setor foi assunto em destaque no I Seminário de Artesanato de Macaé e Região, realizado na quarta-feira (29). Outra pauta em debate é a criação de produtos que sejam marcas identificadas com cada cidade ou região. O evento contou com a presença de membros da Federação de Artesãos do Estado do Rio de Janeiro – Faciart-RJ. Na ocasião, a entidade empossou a presidente da Associação Municipal de Artesãos de Macaé – Assamm, Maria da Paz, como representante regional da categoria. Na abertura, o grupo de dança Portadores da Alegria se apresentou levando mais brilho à tarde que reuniu dezenas de artesãos fluminenses no Teatro Municipal de Macaé. O Seminário teve apoio da Secretaria Municipal de Cultura.

Visto como um viés importante para a economia, o artesanato tem hoje grande influência na renda familiar. "O artesanato é uma das mais belas representações culturais de um país. São manifestações que retratam gerações e gerações ao longo do tempo. Por isso é importante que se leve em conta o aproveitamento de matérias primas disponíveis na criação das peças, de forma a agregar valor ao produto visando interesse de mercado", enfatizou a secretária de Cultura de Macaé, Tânia Jardim. Presente ao seminário, o secretário de Trabalho e Renda, Leonardo Pessanha mencionou a política pública do município, conceituada em autossustentabilidade para todos. "Apoiamos a construção de uma rede unindo a força de trabalho de todos os artesãos, e já considero a realização do seminário como um começo para esse objetivo maior", disse.

A coordenadora de artesanato em Macaé, Maria da Paz, falou de projetos, de integração e de projeção para o futuro: "Cada peça que eu crio é como um filho, mas após dar à luz ele já não é mais meu. Tudo que entra na rede pode ser copiado. Assim eu vejo nosso processo de criação. Não podemos ficar parados, só olhando, queremos produtividade!", ilustrou Maria da Paz, que desempenhou ainda o papel de cerimonialista no evento. Ela citou várias mulheres com papel importante para o artesanato local, entre elas, dona Magali Machado, que desenvolve trabalho de referência na comunidade das Malvinas há cerca de 10 anos.

Falando em nome da Faciart-RJ, o vice-presidente da Federação, Rafael Henrique, parabenizou o esforço de juntar os artesões da região em torno de um projeto amplo que irá reforçar a produção e comercialização do artesanato, atendendo aos interesses da categoria e do mercado. Os benefícios de fazer parte de uma federação foram apresentados à platéia em PowerPoint. O secretário de Cultura de Queimados, Marcelo Lessa e a secretária de Cultura de Carapebus, Dulce Cordeiro, tiveram participação ativa no seminário, e apostam nos efeitos positivos que virão com as novas parcerias.

 

Jornalista Marilene Carvalho

 

seminário artesão

 

OPM encanta público na primeira edição do Quarta Cultural

E-mail Imprimir

 

A Orquestra Popular de Macaé (OPM) reuniu dezenas de pessoas na tarde desta quarta (29) na Cidade Universitária, marcando a abertura, no pátio principal, do evento Quarta Cultura que consiste em uma vez por mês promover a arte para o corpo docente e discente, alcançando também pessoas da comunidade.

A Música Popular Brasileira com novos arranjos evidenciando o choro e a bossa nova é o 'carro chefe' da OPM - orquestra formada por ex-alunos e professores da Escola de Artes Maria José Guedes (EMART) - encantando com músicas traduzidas através de instrumentos de sopro, cordas, bateria e percussão. 

Para Marco Polo, o Banana, diretor de música da EMART, é de suma importância levar o trabalho da OPM e realizar parcerias: "Além de prazeroso é muito bom levar música de qualidade para as pessoas, estamos satisfeitos com o reconhecimento e retorno da plateia", disse Banana.

A psicóloga Janaína Almeida que estava participando de um seminário no mesmo local, parou para ouvir a orquestra "Quanta beleza, raro ouvirmos, hoje, uma boa música, já estava de saída quando me encantei com o som. Parabéns aos músicos e a todos envolvidos na Quarta Cultural, ótima iniciativa", relatou Janaína.

A OPM realiza seus ensaios abertos semanalmente, toda quarta às 15h, na Praça das Artes, Centro Cultural, e por diversas oportunidades também, de acordo com convites, desloca o ensaio cumprindo outros eventos, com prévia análise.

A Praça das Artes está localizada na Avenida Rui Barbosa, 780, Centro.

Jornalista Mônica Braga

 

opm5

 


Página 5 de 133

Notas

Macaé promove segundo Seminário sobre Violência

O segundo Seminário sobre Violência, promovido nesta quarta-feira (29), reuniu 160 participantes e colocou em pauta a prevenção de violências contra o sexo feminino, a equidade e a ideologia de gênero machista. O evento, organizado pela prefeitura, aconteceu das 9 às 13 horas e de 14 às 18 horas, no Auditório Cláudio Ulpiano, na Cidade Universitária. A Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Cidadania, a Coordenadoria de Políticas para Mulheres e o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) foram responsáveis pela programação.

A importância do seminário foi destacada pela Secretária de Desenvolvimento Social, Tatiana Pires. "A violência está em toda parte, em todas as classes sociais, não está restrita à raça, cor de pele, religião. O município tem equipamento de proteção para acolher a mulher vítima de violência, que vem fragilizada, mas é atendida por um trabalho de rede de modo a garantir a essa mulher a segurança", disse a secretária.

Satisfeita com a adesão pública ao evento, a coordenadora de políticas para mulheres e do Ceam, Jane Roriz, evidenciou os dados: em 2016 foram 3.921 atendimentos sociais, psicológicos e jurídicos pela equipe técnica, formada por assistentes sociais, psicólogos e advogados, referenciados por algum órgão que atende as mulheres ou por demanda espontânea.

Fonte: Equipe da SECOM